Março 24, 2017

Automação torna teste de tuberculose mais seguro

 

Novo equipamento torna teste mais eficiente e sem riscos para operador e meio ambiente


O Dia Mundial de Combate à Tuberculose foi criado em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em homenagem aos 100 anos do descobrimento do bacilo da doença pelo médico Robert Koch em 24 de março de 1882. Embora a tuberculose pareça uma doença de antigamente, a realidade é bem diferente. Anualmente são notificados cerca de 6 milhões de novos casos em todo o mundo, levando mais de um milhão de pessoas a óbito.

O surgimento do vírus HIV e o aparecimento de focos de tuberculose resistente aos medicamentos agravam ainda mais esse cenário. No Brasil, a tuberculose é sério problema da saúde pública, com profundas raízes sociais. A cada ano, são notificados aproximadamente 65 mil casos novos e ocorrem 4,5 mil mortes em decorrência da doença. O País ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% do total de casos de tuberculose no mundo.

A tuberculose tem cura e o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente o tratamento. Contudo, é fundamental o diagnóstico precoce. A baciloscopia ou pesquisa de BAAR (bacilo álcool-ácido resistente) é uma metodologia utilizada para o diagnóstico laboratorial da tuberculose e acompanhamento da eficácia do tratamento, fundamentada na característica tintorial do bacilo de Koch (M. Tuberculosis) de reter o corante fucsina mesmo após descoloração com solução álcool-ácida. Os kits de coloração disponíveis no mercado brasileiro são para técnica manual e a grande maioria utiliza ainda a técnica de coloração a quente Ziehl-Neelsen.

“O grande problema é que o método Ziehl-Neelsen prevê que a coloração seja realizada de preferência dentro de uma capela de exaustão, pois há liberação de vapores tóxicos durante o aquecimento do corante fucsina. É recomendado que operadores utilizem máscaras, para evitar intoxicação”, explica Claudia Huerta, gerente de produto da linha de microbiologia da Vyttra Diagnósticos.

Para aumentar a eficiência e a produtividade do teste, bem como o tornar mais seguro para os profissionais que atuam nos laboratórios de diagnóstico in vitro e para o meio ambiente, a Vyttra Diagnósticos desenvolveu com exclusividade para coloração de lâminas de testes de tuberculose o equipamento SlideInk BK®, da marca Hemogram.

O corador SlideInk BK® é um sistema totalmente automatizado que utiliza a técnica de coloração a frio (Kinyoun), que exclui os riscos de toxicidade para o operador. Além de questões de biossegurança, o equipamento utiliza quantidade suficiente e padronizada de reagente para uma coloração satisfatória das lâminas, evitando o desperdício dos reagentes.

O equipamento é randômico com capacidade para 25 lâminas, podendo ser utilizadas amostras de escarro direto, escarro tratado, cultura líquida e demais fluidos corpóreos. O tempo de coloração para a primeira lâmina é de 20 minutos, com as demais lâminas em sequência, resultando em produtividade de 30 lâminas por hora. Além do equipamento, a marca Hemogram conta com um kit de corantes exclusivo.

“É um grande orgulho apresentar tecnologias que foram totalmente desenvolvidas no Brasil, pela equipe de pesquisadores da marca Hemogram. Isso vai ao encontro do propósito da Vyttra Diagnósticos de oferecer melhores resultados para os laboratórios e maior acesso do cidadão a um diagnóstico rápido e de qualidade”, finaliza Claudia Goulart, presidente da Vyttra Diagnósticos.

24/03/2017

Cards relacionados

Intolerância ou alergia?

As alergias e intolerâncias alimentares (IA) são uma problemática crescente e têm um impacto negativo na economia familiar, interações sociais, absentismo laboral e escolar, bem como na qualidade de vida dos indivíduos, por isso, têm ganhado importância na comunidade científica médica, onde estima-se que cerca de 15% a 20% da população mundial seja afetada por alguma intolerância alimentar.

As IA são reações mediadas pela produção de anticorpos IgG, diferente das alergias que são mediadas pelos anticorpos IgE.

Os sintomas são muito variáveis, podendo apresentar: dor e distensão abdominal, diarreia, obstipação, cefaleias, urticária, fadiga, dores musculares, dificuldades de concentração, ansiedade ou depressão, entre outros. Cerca de 50% a 84% dos pacientes diagnosticados com distúrbios gastrointestinais funcionais associam o aparecimento dos sintomas com IA.

Para o tratamento de pacientes com intolerância alimentar é necessário a retirada do alimento de sua dieta e acompanhamento. Por isso, a detecção do alimento que causa a intolerância permite um tratamento rápido e melhora na qualidade de vida do paciente.

O teste de intolerância alimentar identifica alimentos que levam à produção de anticorpos IgG, que poderão estar na origem de diversas doenças, como, transtornos gastrointestinais (síndrome do cólon irritável), alterações dermatológicas (eczema), sobrepeso, enxaqueca e artrite. Vale ressaltar que os resultados devem ser sempre correlacionados com a condição clínica do paciente.

E para o diagnóstico de intolerâncias alimentares a Vyttra Diagnósticos tem disponível o kit Food Intolerance 90G ELISA, com apresentação de 3 testes, fornecidos pelo fabricante americano Biomerica que detecta a presença de anticorpos IgG contra mais de 90 alimentos das diversas famílias:

Frutos do mar:
Molusco, bacalhau, merluza, lagosta, salmão, sardinha, camarão, linguado sole, lula, truta e atum.

Leite e ovos:
Leite de vaca, ovo, clara, gema e iogurte.

Queijos:
Queijo americano, queijo cottage e queijo curado.

Carnes:
Carne de frango, carne de cordeiro, carne suína, carne de coelho e carne de peru.

Legumes, verduras e hortaliças:
Alcachofra, aspargo, brócolis, repolho, cenoura, couve-flor, aipo, acelga, pepino, berinjela, ervilha verde, alface, alface-americana, feijão-de-lima, cebola, feijão-pinto (feijão carioca), batata, espinafre, abóbora, vagem, batata-doce e tomate.

Ervas e especiarias:
Canela, alho, pimenta-verde, manjerona, salsa e pimenta.

Frutos secos:
Amêndoa, noz-de-cola, amendoim, noz-preta e noz.

Cereais e sementes:
Grãos integrais, cevada, cana-de-açúcar, grão-de-bico, café, milho, lentilha, semente de mostarda, aveia, arroz, centeio, soja, semente de girassol, trigo, fermento (pão) e levedura (cerveja).

Frutas:
Maçã, abacate, banana, melão, uva branca, uva concord, toranja, limão, laranja, pêssego, pera, abacaxi, ameixa e morango.

Outros:
Manteiga, chocolate, mel, cogumelo, oliva, chá e chá-preto.

15/01/2018

Vyttra Diagnósticos apresenta novas soluções para diagnóstico in vitro no congresso SBPC/ML

 

Líder brasileira na produção e comercialização de reagentes e equipamentos para o mercado de diagnósticos in vitro, a Vyttra Diagnósticos destaca soluções para o mercado durante o 51º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicinal Laboratorial (CBPC/ML), que acontece de 26 a 29 de setembro, no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo. O estande da Vyttra é o nº 31.

 

A empresa destaca o lançamento da linha Maglumi™, um sistema de Imunoensaio por Quimioluminescência (CLIA) composto por cinco modelos com capacidade de processamento de 120 a 280 testes/hora, que atendem laboratórios e hospitais de todos os portes. Em constante evolução, o menu de testes é amplo e conta com mais de 100 parâmetros nas áreas anemia, cardiologia, endocrinologia, ginecologia entre outras. Além disso, possui parâmetros exclusivos, dentre eles 17OH Progesterona, T3 Reverso e Testosterona Livre.

Na hematologia, a novidade é o Mythic® 22 OT, menor equipamento do mercado com diferencial em cinco partes e análise em sistema de tubo aberto. O produto utiliza apenas três reagentes e destaca-se por seu baixo consumo (30% a 50% inferior aos demais do segmento, reduzindo o volume de resíduos). Outra característica do sistema é a aspiração de pequenos volumes de amostras, controles e calibradores, sendo capaz de processar até 60 hemogramas por hora.

A Vyttra também traz para o mercado o analisador de eletrólitos i-Smart 30 Pro, baseado em cartuchos que usam 60 µl de amostra de sangue para medir automaticamente íons como Na +, K +, Cl- e hematócrito. O cartucho all-in-one contém todos os consumíveis, incluindo eletrodos, soluções e reagentes. Além disso, o i-Smart 30 Pro tem design enxuto e baterias internas recarregáveis, possibilitando sua locomoção para onde quer que seja necessário fazer o teste de Point of care, como triagem em sala de diagnóstico de emergência, unidade de terapia intensiva e em hospitais.

Para o segmento veterinário, o lançamento é a linha Vyvera, um exclusivo pack dedicado com as quatro soluções necessárias para a realização do hemograma: 1 diluente, 1 lisante, 1 detergente e 1 desproteinizante. Esse reagente é destinado ao uso no analisador hematológico Hemacounter Vet, que processa até 60 testes/hora, com sete configurações pré-determinadas de animais: cães, gatos, coelhos, porcos, cavalos, cabras e macacos, e mais quatro que podem ser definidas pelo usuário.

 

01/09/2017

Vyttra Diagnósticos lança pack de reagentes hematológicos dedicado para rotinas veterinárias

Líder brasileira na produção e comercialização de reagentes e equipamentos para o mercado de diagnósticos in vitro, a Vyttra Diagnósticos apresenta a linha Vyvera, com exclusivo pack para uso veterinário dedicado ao analisador hematológico Hemacounter Vet.

A nova linha traz o pack de reagentes para hematologia veterinária Vyvera, que proporciona praticidade através de quatro soluções necessárias para a realização do hemograma: 1 diluente, 1 lisante, 1 detergente e 1 desproteinizante para a realização de manutenções. “Além de lançarmos um único conjunto com todos os reagentes necessários, diferentemente do que encontramos atualmente no mercado, as apresentações são adequadas para rotinas veterinárias e os produtos permanecem 100% estáveis durante todo o seu uso. O pack Vyvera, ao seu final, deve ser substituído na íntegra por um novo, explica Juliane Castoldi, gerente de produtos da Vyttra Diagnósticos.

A Vyttra já possuiu em seu portfólio o equipamento Hemacounter Vet, destinado exclusivamente a hemogramas veterinários, processando até 60 testes/hora com sete configurações pré-determinadas de animais: cães, gatos, coelhos, porcos, cavalos, cabras e macacos, e mais quatro que podem ser definidas pelo usuário. O equipamento realiza diferencial em três partes de WBC, apresentando 20 parâmetros e três histogramas, além de possuir software em português e baixo consumo de reagentes e amostras.

 

29/08/2017

Vyttra traz ao Brasil novo sistema de quimioluminescência

 

Linha Maglumi conta com soluções que atendem laboratórios e hospitais de todos os portes.

Líder brasileira na produção e comercialização de reagentes e equipamentos para o mercado de diagnósticos in vitro, a Vyttra Diagnósticos traz ao Brasil a linha Maglumi™, um sistema de Imunoensaio por Quimioluminescência (CLIA). A família de equipamentos é composta por cinco modelos com capacidade de processamento de 120 a 280 testes/hora, que atendem laboratórios e hospitais de todos os portes.

Em constante evolução, o menu de testes é amplo e conta com mais de 100 parâmetros nas áreas de anemia, cardiologia, endocrinologia, ginecologia, entre outras. Além disso, possui parâmetros exclusivos, dentre eles 17OH Progesterona, T3 Reverso e Testosterona Livre.

Todos os reagentes possuem controle de qualidade e calibradores inclusos que ajudam a diminuir os custos por teste e sua qualidade é assegurada por avaliação de controles de qualidade externo reconhecidos.

Os equipamentos Maglumi™ utilizam a tecnologia de quimioluminescência por microesferas magnéticas. Esta tecnologia diminui o tempo da reação pela ampliação da ligação antígeno-anticorpo, aumenta a sensibilidade por meio de uma captura mais rápida e também reduz de forma significativa as discrepâncias inter ou intra-ensaio pela completa homogeneização dos reagentes em uma plataforma de separação líquida.

O sistema Maglumi™ foi desenvolvido pela empresa Snibe, que possui ISO 13485 e marcação CE para equipamentos e reagentes. Com 20 anos de foco em quimioluminescência, a Snibe já possui mais de sete mil equipamentos instalados e distribuídos em 125 países.

21/08/2017